Selvagem (part. Drik Barbosa, Stefanie, Dory de Oliveira, Fióti e Souto MC)
Emicida

[Emicida]
É barulho de moto
Estouro de 12
Clique pra foto
Para na pose
É o prêmio da loto, gata
Num devo nada pros oto, cata
Canta liberdade, eu ganho a cidade toda
Trava os boca de lata

Essas rua me fez selvagem
É minha vez, selvagem
Nada procês, selvagem
Engatilha e tey, selvagem
Oh selvagem
Oh selvagem

[Drik Barbosa]
Isso é kalakuta igual Fela Kuti
Maloka na luta, favela curte
O corre diz tudo
É pelas bolsa de estudo e pelas bolsa Gucci
Se é roleta russa, eu viro Putin
De rua igual Lupe na Kick n? Push
Respondo massacre, tomando 40 acre
Num é Macri, isso é King Push
Sinhá quita a conta, é uma afronta
Pros Kunta isso é guti guti
Suor e sangue no bangue
Os bico vem como? Tá bem loco de Yakult
Eu junto quem trampa no bonde
Tipo isso? Onde cê via? Cut?
É só ideia quente no pente
Na leste, se a rima esfria é mute

[Stefanie]
Tipo uma sequela, mano, viela, mano
Vem ela e a rima cabocla
Sintetiza tudo, estilo buchla
Num ganha a origem, então cala a boca
A meta é Los Angeles, tipo UCLA
Brotando na Forbes, pique a Oprah
Respeito só rola se for mão dupla
Se rouba minha brisa, a ideia é outra
Sou Marta no ataque, meu nível? Ultra
Iansã que guia se vento sopra
Tem filho da puta aplaudindo Ustra
Sou hidra, se mata o perigo dobra
Buscando no som algo que me nutra
Proteja os meus do bote das cobra
Nem lycra, nem like, hoje sou lucra
O dever me chama, então mãos à obra
(Pode seguir, juiz, que não foi falta, não)

[Emicida]
É barulho de moto
Estouro de 12
Clique pra foto
Para na pose
É o prêmio da loto, gata
Num devo nada pros oto, cata
Canta liberdade, eu ganho a cidade toda
Trava os boca de lata

Essas rua me fez selvagem
É minha vez, selvagem
Nada procês, selvagem
Engatilha e tey, selvagem
Oh selvagem
Oh selvagem

É-é-é roots tipo samba
É-é-é a nova Wakanda
É-é-é roots tipo samba
É-é-é a nova Wakanda

Sinceramente eu gosto assim, miss
Os verme em choque, nóiz em Paris
(Entendeu? O tema é Paris)
Meti um G-Shock e pá, voltei no voo com a Gisele
Com um terno que custa a propina deles
Hashtag chora MBL
Minha pira é criança com cor de chocolate
A fazer selfie em iate
Com a mente da Lisa e a maloqueragem do Bart
Ó meu curriculum lattes
Em qualquer ano dos últimos dez
Há uma revolução que o zica fez
No meu dicionário não tem revés
Botei trinta dia cinco em cada mês

[Dory de Oliveira]
E tem mais
O asfalto era o palco
Tomamo de assalto, sagaz
Toda mão pro alto
Em cor e luz como vitrais
Nova era de Hórus, onde rainhas são como orixás
Esse é o anseio de meus ancestrais
Esse é o anseio de meus ancestrais
Esse é o anseio de meus ancestrais
Esse é o anseio de meus ancestrais

[Fióti]
A cena tava um desmanche
Tive que pegar o manche
Lutar estilo comanche
Hoje meu nome é revanche
Foco no gol, olho no lance
O revide no relance
Sempre é a última chance
Isso é a selva, então, avance

A cena tava um desmanche
Tive que pegar o manche
Lutar estilo comanche
Hoje meu nome é revanche
Foco no gol, olho no lance
O revide no relance
Sempre é a última chance
A rua é a selva, fui

[Emicida]
É barulho de moto
Estouro de 12
Clique pra foto
Para na pose
É o prêmio da loto, gata
Num devo nada pros oto, cata
Canta liberdade, eu ganho a cidade toda
Trava os boca de lata

Essas rua me fez selvagem
É minha vez, selvagem
Nada procês, selvagem
Engatilha e tey, selvagem
Oh selvagem
Oh selvagem