Eu hei-de amar uma pedra
Vitorino

Eu hei-de amar uma pedra
Deixar o teu coração
Uma pedra sempre é mais firme
Tu és falsa e sem razão

Quando eu estava d´abalada
Meu amor para te ver
Armou-se uma trovoada
Mais tarde deu em chover

Mais tarde deu em chover
Sem fazer frio nem nada
Meu amor para te ver
Quando eu estava d´abalada