Marcha Ingénua
Vitorino

Embarcados p´rás tromentas
Com fartura d´incertezas
Adeus cais da felicidade
Lá vão barcas Portuguesas

Oh! enganadoras luas
Trópico de capricónio
Madrastas de bode preto
Enteadas do demónio

Oh! império de má memória
Dos cães de fila da moda

Voa vai negra andorinha
Pede à minha namorada
Dê notícias de Lisboa
Das praças livres, dos cravos
Das saudades que lhe tenho
De vê-la subir a rua...
A cantar a tal cantiga
Primavera não esquecida