Mariana à Janela
Vitorino

Mariana quando tu passas
Nos arcos da praça velha
Enches meu peito de esperança,
Mas eu tenho de ir à guerra.
Fui à guerra num instante
E voltei p'ra te encontrar.
Mariana tu partiste,
Não posso senão chorar.

À janela dos teus olhos
Eu invento mil desculpas.
Queria-te mais do que à vida,
Amo-te mais do que julgas.
Na procura do passado
Tenho sonhos e visões
P'ra dosear as angústias
Das minhas inquietações.
Eu já perdi, Mariana,
Do meu canto a sentinela.
Menina tu foste um dia
O meu encanto à janela.