Olhos Molhdos
Vitorino

Revoada no mar
Das gaivotas lá
Onde a saudade dói
Sem fingimento
Solidão tão só
Sente os adores do vento
Volta, pássaro do Suão

Alumia-me os olhos
Com o teu voar
No anil do firmamento
Cristal tão puro
Geada de seda
Toca-me na retina
Foge, coração enganado...