Postal Para D. João III
Vitorino

Ao Zeca Afonso


Acorda João III
Querem-te roubar a fama
Um cardeal interesseiro
Pelo sto. ofício chama

Diz que vem pra nos salvar
Da tentação de Mafoma
Metido numa redoma
Jura que é inofensivo

Traz baú de ordenações
Cadafalso e sambenito
Cara de corpo-delito
Volta o polé pràs funções

Eu por mim faço um manguito
Às armas do cardeal
Vou-te mandar um postal
Com novas dos teus filhotes

De todos a mais notada
Com pergaminho d´elite
Essa bastarda Judite
Tens-lhe a alma confiada

Bate-me à porta de noite
Diz que sou um excomungado
Mil heresias, culpado
Carbonário, contumaz

Diabo, anarquista negro
Blasfémia não controlada
Quer saber qual o segredo
Da alma duma granada